domingo, 26 de abril de 2009

O Czar e o Mandarin

Dizem que deu-se há muito
num tempo pra dantes de outrora
que um dia se encontraram
um czar e um mandarim

Lá pro prados do oriente
que seria o tal duelo
que deixou tão conturbado
um pequeno povoado
situado numa aldeia que chamava Praladelá

Muitas gentes que chegaram
de outras terras mais distantes
para verem seus soberanos
se mostrarem num duelo

Os praladeladeanos,
que era o povo da aldeia,
se fizeram hospitaleiros
para que os muitos povos
que chegaram lá aos montes
se pudessem acolher
para ver o tal duelo

E vieram russianos
E vieram chinesenses
E os praladeladeanos,
que ali sempre estiveram,
todos eles, todos prontos,
esperando o tal dia
do czar e mandarim

Pelos campos se espalharam
ladeando o seu centro
que ali ficou formando
a arena de combate

E chegou o mandarim
todo ele vindo em túnicas
com desenhos de dragões
que cuspiam e cuspiriam
muitos fogos muito ardentes
na cara do czar atrevido

E chegou ali o czar
todo ele vindo em peles
chefiando os camaradas
que com ele ali vieram
pra jogar bolas de neve
na cara do mandarim atrevido

E vibraram as platéias
quando viram a cada canto
pela arena adentrando
os seus grandes manda-chuva

E o russiano vinha frio
todo ele cheio de neve
pois ali na Russogrado
Era neve a todo lado

E o chinesense vinha quente
todo ele douro Sol
pois lá na Chineslândia
eram tempos de verão

E o duelo começou
com urras camaradas
com arroz pro mandarim
pelos prados orientais
das terras de Praladelá

Mas chegou um mensageiro
vindo rápido de Russogrado
e durante o intervalo
que não houve nessa luta
informou a seu czar
que chegara a primavera

E como numa magia
transformou-se numa neve
que cobria o camarada
até que uma flor
terminou por se brotar
no chapéu de pele do czar

Mas chegou um mensageiro
vindo leve de Chineslândia
e durante aquele mesmo intervalo
que não houve nessa luta
informou ao mandarim
que as monções trouxeram chuva

E em mais uma magia
transformou-se aquele Sol
que bronzeava o mandarim
numa chuva torrencial
que molhou as suas vestes
e apagou a chama do dragão

E o povo ali vibrando
dando urras camaradas
e arroz por mandarim

E agora o czar
batalhava com cuidado
pra não ter que machucar
a flor do seu chapéu

E agora o mandarim
batalhava com cuidado
pois não tinha mais
o fogo protetor do seu dragão

Foi então que aterrissou
de um vôo, uma tal ave
que iniciou-se por falar
e interrompeu a luta:

- Venho, disse ela,
avisar a todos vós
que se deram dois levantes
e dois golpes no poder.
Pois agora esse czar
não é mais imperador
e a terra de Russogrado
agora se chama Rússia!

E os camaradas fizeram em coro:

- Ohhhhhhhh!

E continuou a ave:

- Mas também ao outro povo
venho lhes comunicar
que este homem mandarim
não é mais imperador
e a terra de Chineslândia
agora se chama China!

E os arrozeiros também fizeram:

- Ohhhhhhhh!

E a ave foi embora
e os povos dali também
só ficaram ali os dois,
parados,
olhando um ao outro

E as terras se mexeram
foram subindo mais e mais
o czar foi se sumindo
só ficando a sua flor
o mandarim desapareceu
só ficando a sua chuva
e as terras que subiam

Subiram por muito tempo
e ali onde era prado
agora virou montanha
que passava a separar
a Rússia da China

E a aldeia de Praladelá
transformou-se num laguinho
que chamava mandarim,
onde brotava a flor
que chamava czarina,
que ali ficaram juntas
bem no pico de um dos montes
lá do alto do Himalaia

14/11/80

36 comentários:

EU SOU NEGUINHA disse...

Flá...
Adorei o escrito...
Passadinha pra deixar um beijo em ti.
Ri muito com teu comentário em meu blog..hahaha..
Será que terei alguem um dia pra chegar mais cedo? hahaha
Vamos ver se chega...rindo
Beijos em ti com saudades
Nega

Palma da Mão disse...

Conto fantástico...
Vim desejar uma semana cheia de coisas boas...
Beijinhos
Liliana

Cris Animal disse...

CA RA CA ( isso para não dizer duas outras palavras que começam com "c" também....rsrsrsrsr)

Adorei!
Demaaaaaaaaaaaaaaais!

Isso está publicado?

Acho que precisamos de mensageiros urgentes por aqui e que venham anunciar novas coisas, novas formas de vida......rs


beijo
...............Cris Animal

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Monday,

A revolução das suas palavras são fuzilantes... adoro seu modo de escrever.


Beijo, querido.

=]

Rebeca


-

A Senhora disse...

Boas férias, querido.

Uma czarina... :)

Priscila Mondschein disse...

Muito bonito, moço!
Dois personagens exóticos que incentivam a imaginação da gente...
Beijos!

Jean Grey disse...

Perdoe minha ausência Fla....

Vou passar aqui amanhã e ler com calma o poema...

passei mesmo para deixar um grande beijo e um abraço.

Tamy.

Lulih Rojanski disse...

Que história linda... Por que ficou por tanto tempo na gaveta? Ou já foi publicada?
Beijos.

Monday disse...

Minha Nega

deseje, Nanda, deseje ... pois desejar é o início de tudo ... e também sonhe, pois nem tudo que se deseja vira realidade, mas um pouco de sonho não mata ninguém e ainda te traz ótimos momentos e sorrisos ...

Li

Pois é, e o pessoal ainda vem tentar enganar a gente com aquelas aulas de geografia ... rsss

Monday disse...

Cris

e aí, mulher, saiu do mato finalmente?

a coletânea de poemas não está publicada, mas vem sendo divulgada aos poucos nesse espaço.

Dependendo do que rolar no segundo semestre, talvez dê para publicar ... vamos ver ...

Re & JC

Menina, chorei de rir com a guerrilheira que mora dentro da menina do néctar ...

quanto ao poeminha, ele veio à Terra no final do primeiro ano em que comecei a escrever poesia ... é um dos meus preferidos ...

Monday disse...

Mi

calma, ainda tem até quinta e muito problema pesado pra resolver no trabalho ...

depois, Muro Alto me espera ... eu e minha raquete ... rsss

Pri

eu sempre gostei da sonoridade de Czar e Mandarin ... daí, veio o poema ...

Monday disse...

Ty

e desde quando você precisa de perdão pra alguma coisa, menina? todo mundo tem coisas pra fazer, não há obrigação alguma ...

mesmo porque, eu tb só consigo te dar atenção de quando vez, né?

gostei da foto ... tá bonitcha as pampas ...

Lu

em 1980 não havia blogs e outros quetais ... a gente divulgava poesia de mão em mão ou por cartas, entre colegas de escola e amigos em geral ...

eu nunca publiquei a coletânea porque é muito difícil conseguir publicar algo no gênero sem ser famoso, por mais que algumas pessoas possam gostar ...

como hoje em dia a gente pode pagar a própria publicação, fica um pouco mais fácil ... é só conseguir a grana ... rssss

eu pretendo continuar colocando todos os poemas por aqui, mas talvez faça uma edição de alguns exemplares, mais pro final do ano.

Avassaladora disse...

Moço, que história linda vc conta em forma de poema!

Que poder tem uma Flor!
Que poder tem uma chuva!

Tiram a força de um Czar e de um Madarim...

Vc é incrivelmente criativo!
Parabéns!

Um beijo avassalador!

Uma linda semana!

o casalqseama* disse...

conhecemos um lugar chamado praládelá... estivemos LÁ ontem!


rsrsrsrs



uma seman ashow pra ti.
bjão da fê =D

°° Desequilibrada °° disse...

fofuuuuura!!!
Lindo, como sempre né!?
=D

bjuuuuuuuuuuuu

Vivian disse...

...quando eu venho aqui,
me sinto 'praládelá',
e adoro me sentir assim...

bjus, meus, menino lindo!

Bia Kohle disse...

Ai, que gracinha!
Adorei, Bonequinho!

Beijo.

Monday disse...

Avinha

viu só que menino criativo? rsss

Fe

já estou até imaginando o que não teve de montanha subindo por lá ...

Monday disse...

Des

goschtou, minha Maluquete preferida? essa história nem tu imaginava, né?

Vi

bem, tentaremos manter o nível do cardápio ... rss

Monday disse...

Bonequinha

é, parece que esse poema tem esse encanto mesmo ... não importa muito a idade de quem o lê, geralmente as pessoas acabam gostando muito dele ... bom, é claro que nunca vai ser unanimidade, mas é um dos poemas que já escrevi que mais agradam a quem já me leu ...

bjks

Tempestade disse...

Gostei muito do texto!
Genial como sempre!

Beijos Tempestuosos e ótima semana!

Cristiana O. disse...

Adoro seu cantinho...
Enquanto vou degustando suas palavras, vou relaxando.
Um efeito surpreendente!!
bjss

Liene disse...

Bom dia!!!
Vim agradecer sua agradável visita.

Dizem que quando gostamos de algum lugar, voltamos. E eu voltarei sempre, pois adorei seus versos.
Não consegui ler todos, mas gostei muito de POEMA SEM MEDO...

Um grande abraço e uma boa semana!

A Senhora disse...

Bestinha! E qual o problema de ficar imaginando a ginástica que o cara estava fazendo para conseguir fazer tudo aquilo ao mesmo tempo? :))

beijinhos

Izinha disse...

Adorei o conto poema, só vc mesmo prá escrever assim desse jeito tão gostoso de se ler.

bjos prá ti!

Monday disse...

Le

é uma estorinha interessante, com alguns momentos tempestuosos ... rsss

Cris

efeito relaxante? hum, interessante isso ...

Monday disse...

Li

portas abertas, moça ... quanto ao poema que você gostou, é uma tentativa de mostrar que não vale a pena ter medo de tentar de novo, só porque pode doer em algum momento ... gostar de alguém e curtir isso sempre será melhor que qualquer medo ...

Mi

ah, não deu pra ficar calado ... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Monday disse...

Izi

ah, sou só eu não, tem mais gente que também escreve assim ... é que o meu estilo, em geral, vai por aí ... por isso que acaba marcando mais, pela constãncia ...

Fabricante de Sonhos disse...

Olá!

Nossa! Me transportou pra um outro tempo, uma outra terra, essas tuas palavras!
Muito bom!
Muito lindo o jeito como você coloca cada palavria no lugar certinho dando sentido e poesia ao texto!

Muito bom voltar aqui!

Tenha um ótimo final de semana!

Beijo meu...

Fabricante...

Branca disse...

Adorei Monday,

tudo o que escreve é de uma delicadeza impressionante...o final surpreende...minha imaginação voou e me levou pra Praladelá!

Aproveita bastante o feriado...beijo bem carinhoso pra vc!

Jaya disse...

Ah, que eu finalmente me achei. Praladelá, é de onde eu sou. Rs.

Rapaz, a poesia é giganta, mas eu li disparada. E o final, esse foi como quando a cortina se fecha, no teatro. Aplaudi, daqui.

Beijo, rapaz.

Angela disse...

Fantàstico,amei.
Bjs

Monday disse...

Fa

esse poema é um dos meus preferidos, daqueles que a gente deve agradecer aos deuses pela chance de conseguir por em letras o que vai pela mente ...

quanto a por palavras certas em lugares certos vai muito de como a cabecinha anda funcionando e o relacionamento dela com os sentimentos ... se a combinação estiver boa, normalmente o resultado final vai bem ... rsss

Branquinha

o mundo já é áspero o bastante durante grande parte do tempo ... se a gente não colaborar para suavizar um pouco, acho que vai sobrar desconforto demais com o que se conviver, não?

Monday disse...

Jaya

Tenho sentido falta dos seus textos, mas vira e mexe eu vejo a Dulce por lá ... rssss

Quanto ao final, de vez em quando a gente acha uns bem legais, não?

Angela

Brigadinho, moça ... e a sua foto ficou muito boa ...

Letícia disse...

Sou uma praladeladeana. Vim desse tempo que você escreveu e acho que vi o começo do mundo em seu poema. O começo e a continuação.

E eu li.

E muito amor para você e a sua Lectícia. =)

Anônimo disse...

oi profesor czar seu blog é muito legal gostei muito de todos o seus blogs , o seu blog e fantastico dei uma pasadinha para deicha um bjs em ti ri muito com todos os comentarios bjs em ti to com saudades bjs de tytyzynha♥ *______*