sábado, 9 de maio de 2009

Canção das Mães

Mulher
Que nasceu predestinada
Pela Luz, iluminada
Só seu ventre pra gerar

Mulher
Que após a puberdade
Vai buscar maturidade
Para um sonho realizar

Que passa
Sua mão pela barriga
Quer que o seu mexer lhe diga
Que uma vida irá brotar

E quando
Esse sonho vira pranto
Ela traz seu acalanto
Para as lágrimas secar

Minha mãe
Eu nem sei como dizer
O que eu sinto por você
Não sei como me exprimir

Só sei
Ainda que eu te aborreça
Espere até que eu cresça
Pra poder me redimr

E passe
Sua mão em minha cabeça
Mesmo que eu não te obedeça
O melhor está por vir

Um dia
Numa rosa, numa flor
Eu lhe entrego meu amor
So para te ver sorrir

Me abraça forte, bem forte, mãe

14 comentários:

Erica Maria disse...

Ai de nós, se não fossem as mães!

Lindo poema!!!

Bjos em teu coraçao querido!

Carolina Diniz disse...

Oie...
que saudades!!!!

Faz algum tempo que não nos falamos, hein. E meu livro???Hahahaha..estou louca para ler.

Beijos

Ah, momento propaganda...fiz um post sobre o final dos relacionamentos.
www.sexonapontadalingua.com

Beijos

EU SOU NEGUINHA disse...

Como sempre....lindo..
Um ode a todas as mulheres.
Beijos menino,to com saudades

Menina Robô disse...

Mãe é tudo,
por isso q amo a minha =D

Bjokas =*

Kariny

Fernanda! disse...

Feliz dia para sua, para minha, para todas!!

Bjos de luz e um lindo domingo junto com a sua familia.

Branca disse...

Ei Monday...tá sumido moço!!!

Lindo poema/homenagem às mães; que vc tenha um domingo de perfeita harmonia em família!

Bjo carinhoso...saudades!

Anita Fonseca disse...

Belíssimo poema.

Bom domingo.

iaiá disse...

olha, ser mãe e mulher realmente não é pra quem quer, é par quem pode!
bj

Pearl disse...

Colo de mãe foi algo que não tive muito...


beijos

Bia Kohle disse...

Parabéns para todas elas!

A Senhora disse...

Resolvi comentar isso hoje. Depois de ter recebido o "parabéns, mãe" sonolento do Davi, e do abraço apertado do Arthur. Depois do Davi tocar Chopin ao piano em homenagem às mães e de Arthur cantar olhando para mim, com a cara mais safada do mundo. Depois dos dois se socarem durante o almoço por pura pirraça. Depois de Davi resolver assistir jogo de futebol e Arthur jogar no computador. Depois de eu tomar o meu café e sentir que até que o dia foi divertido. :))

Beijos na sua mãe! :))

Um beijinho especial a você.

Jaya disse...

Por não saber da minha mãe comigo, ontem, numa distância que soube fazer saudade doer um pouco mais, teus versos me deixaram quase em lágrimas.

Quis abraçá-la, tão logo terminei de te ler. Não pude, mas guardei. E tão logo meus olhos sejam dela novamente, eles hão de contar do inteiro. Mudo.

Adorei, rapaz.

Beijoca.

EU SOU NEGUINHA disse...

Oi Flá...
Saudades de tu..
Lindo semana.
Beijos da Nega

Líviarbítrio. disse...

Lindo, lindo, lindo.

Ahhhh, as mães.
São flores.

Saudade eu estava daqui, ;)

Beijos.