segunda-feira, 3 de maio de 2010

Vôo em dueto

- Voar!
- Voar?
- Voar, levantar, galgar, alcançar
- Para que?
- Para se deliciar!
- No ar?
- Sim, no ar
- E ver o mar?
- Sim, pode-se observar
- Então, há uma visão
- Ou ilusão
- De ótica?
- Quem sabe?
- Não sei
- Não perguntei quem não sabe!
- Eu sei
- Não gosto de saber
- Por que?
- Para não responder
- Responder é falar
- Prefiro o silêncio
- E onde achar?
- O que?
- O silêncio
- Ah! No ar
- No ar?
- Sim, com amor e paz
- Sem dor?
- Sem dor
- Só no ar?
- Sim, sempre a voar
- Adeus
- Já vai?
- Sim
- Por que?
- Prefiro o falar
- Então ...
- Pois não!
- ... não sabe voar?
- Quem sabe?

09/03/80

7 comentários:

Sentimental ♥ disse...

me ensina?
bjs

Olavo disse...

Flávio, vi que esse poema é de 80. Vc fez alguma alteração ou simplesmente foi fiel ao original? Pergunto isso pq as vezes fazemos algo pela manhã, e quando ao anoitecer queremos mudar tudo.

Monday disse...

Sent

Prepare as asas ...

Monday disse...

Olavo

Aqui os poemas são todos transcritos no original.

Aliás, não me lembro de ter mudado algum poema depois que ele foi para o papel ...

[ rod ] ® disse...

O voo do completo querer pronto para juntar as almas em torno da sagaz harmonia. E para que saber voar? Se as palavras voam e o desejo vitimado nos deixa nas nuvens! abs meu caro... sempre bom ler-te.

Sentimental ♥ disse...

prontinhas!!!

Ava disse...

Intrigante e diferente.

Voce consegue proezas com as apalavras.


Beijos, moço do chapeú!