terça-feira, 2 de novembro de 2010

Medusa

Entre sombras e penumbras
Da luz baça que transpassa
Pelos poros da veneziana
Trazendo à forma dos cabelos
Os traços de Medusa
Mas sem olhar que vire pedra
Apenas o encanto do sorriso
No provocar dos desejos
Em busca de algo a mais
No balançar dos corpos
Para que ao amor seduza

11 comentários:

Sayuri disse...

Lindo! Como sempre.

Monday disse...

Say

E quem disse que a Medusa só traz coisas feias?

menina fê disse...

a entrega aos muitos olhos...


oi, sumido! rsrs
bjs, querido.

Sentimental ♥ disse...

medusa q não faz virar pedra não é medusa, é mulher apaixonada...

Monday disse...



De repente, as analogias podem ser feitas com algo tido como feio, em meio a algo tão belo ...

Monday disse...

Sent

É que ela só gosta de pedra para tirar um cochilo ... rsss

Mahria disse...

O amor é capaz de seduzir a ponto de não se ver o olhar mortal de Medusa, apenas seu sorriso encantador.



Bjs
Mah

Ava disse...

O amor tem dessas coisas...rs
Nos faz ver, imaginar, sonhar, e a fazer poesia, porque o encanto do amor está em cantá-lo, seja em prosa ou em versos...

Senão sufoca, nos tira o ar...


Beijos meus!

[ rod ] ® disse...

Traduz em vida o que na sensual Medusa só morre fulminantemente.

Belo como sempre meu caro.

Anônimo disse...

Pobre Andrômeda!
Perseu é meu!
Amor, Medusa.

Palma da Mão disse...

Que direi eu perante post tão mimoso?
Rabiscos ou riscos de cor e alegria, memória ou talvez boa recordação, talvez sejam simples vivências que transformam a nossa vida tão bela:)
beijinhos meu amigo, e desejo um grande e óptimo 2011:)
Obrigada!