sábado, 31 de janeiro de 2009

Taiwan

“... ela tinha os olhos puxados, reflexo típico de sua descendência oriental, e um charme todo particular, no jeito de agir, de falar, de acariciar, de desejar e se mostrar desejada, trazendo à tona a verdadeira face de um sentimento que finalmente se revelava, superlativo, sem similar, resumido em quatro letras que muitas vezes se usara sem se saber o que realmente era, e que perdurou muito e muito tempo, mesmo depois de não mais haver par a lhe corresponder...”


Não
não adianta olhar

Os olhos abertos
apenas instantes de curta duração
até o piscar
os olhos apenas não podem enxergar

Só podem ver

É preciso
mais que tudo
sentir

Rima
sonoro som final
a rima visual
é ponto do cérebro
que escorre por neurônios
a percorrer o corpo todo

Lembrança
falha memória
um dia
um instante agora ignoto
meu olhar te viu

Passas
passos lentos
em rima
movimentos
velocidade baixa para melhor te olhar

Na tela imaginária
do sonho acordado
sua imagem vagueia
cabelos esvoaçam
lentos
antigravitacionais
sem cair
apenas movimento
suave descida do ar onde voam
para aos ombros ficarem

Lá te vais ter
no meu sonho sem sono

Tempo
instante
momento

O ponto é sinal
grafia restrita
marcada em espaço
de curto abrigar

Instante

Num ponto de tempo
um dia
te achei


II


Toque
pequeno contato
de tempo em instante
a estar com você

Dedo
ponta
pele
mão

Na ponta dos dedos
o corpo se entrega
a buscar satisfação

Mão
palma
palma a palma
suas mão pequenas
em número singular
a minha se prende
a sumir-se
oculta

Olho
olhar
a vista agora
não mais representa
um órgão do corpo

Fixo
rijo
paradoxalmente
um olhar franco suave se dá
mostrando a fala
do som inaudível

Corpo
sensação
vontade de estar
gosto
paixão

Amar
é um verbo
de grau superlativo

Pulso
relógio
os dígitos mudam
se trocam em seqüência
mostrando que o tempo
se faz passar

Ah, ilusão!
quem me dera
também fosse exata
a ciência do coração!

Gosto
gostar
o verso tendencia
um cheiro no ar
vontade louca
certeza pouca
puxar uma rima,
em verbo,
amar

Bem me quer
mal me quer
o infinitivo
desprezar
Segregue o advérbio
apague o pronome
a mente reluta
quer ser racional
enquanto no corpo se espalha
impregna
um louco tesão de emocional

Gira, gira
roda gigante no meu pensar

Tonto
sóbrio
a bebida ausente
não impede a mente
de se embriagar


III


Pensamento
confuso
vista baça
vontade louca de te beijar

O dia já é noite
comando
cansaço
um ombro em regaço
cabeça pendente se faz apoiar

Adolescentemente
um riso
no rosto se espalha
dedos alheios se cruzam
de toque
o corpo passa a contato
os dedos
pequenos se fazem
agora é hora
das mãos se juntarem
para aos corpos unir

Quando olho pros teus olhos
me invade uma vontade
louca, insana
de a ti chegar

Qual palavra?
Qual dizer?
Qual o verso a se fazer?

Não
não ainda,
a hora não se faz


IV


Franco

Na palavra
no gesto
no verso
no olhar

Francamente
o corpo se queda
para seu lado oriental

Leve
lento
diminuto movimento
levo meu dedo
para seu rosto tocar

Banco de pedra
sol encoberto
na sombra da árvore
morada se faz

Corpo
corpos
de lado
de frente
os corpos deslizam
em meio a seu sentar
os sons diminuem
os gesto acarinham
os olhos
giram
brilham
movimento constante de quase não piscar
um rosto que avança
um outro que chega
os braços que envolvem
os corpos na dança
os lábios se chegam
se tocam em carícia
vontade tão longa
desejo antigo
de bocas que tinham
de se tocar

Tempo
tempo
o tempo parece
parar de passar,
instante longo
se faz momento
em que perdura
esse beijar

Não há regra
não há nada
o sentimento
é de prazer,
a sensação
é natural

Deixe seu corpo
junto ao meu
num simples ato de abraçar

Nomes
palavras
agora não têm sentido

Não importa o verbo:
a rima
é amar!


V


Sol
luz
brilho intenso
o olhar ferido
franze a se proteger
fazendo espelho
nos teus olhos orientais


Tempo
distância
a mente se encarrega
de burlar o real
em busca de te ter

Um dia
o vento bate forte
e iça a vela
levando o barco para longe do porto

Mera imprevisão

De sol a lua
passa dia
passa noite
ainda é tempo de calmaria
e o amor ancora
meu barco
meu corpo
num porto em Taiwan

30/01/87

33 comentários:

Mai disse...

...foi bom prá você?
...Se foi em Taiwan eu não sei e também, se não importam as rimas, a questão é a seguinte:
conseguiste 'mover' a percepção da tua leitora mais cética das 'sensações' fisiológicas no mundo virtual, fazendo-a a queimar a língua e rasgar suas teses....
Agora esta será mais uma matéria a ser estudada pela 'pessoa'...

Bem bom, mais que bom isto.
MUUuito bom mesmo...

Não conheço Taiwan.
Beijos.

A Senhora disse...

Foi uma história de amor contada em linha, espaços e ondas. Os sentimentos em cada espaço tão nítidos que parecia que eu estava vendo a cena.

Mas... tudo tem um "porto final". ;)

Beijinhos, meu velhinho. :))

Monday disse...

Mai

Não, não foi em Taiwan ... rsss
Ela nasceu em Taiwan e veio pequena para o Brasil ... foi na faculdade mesmo!
E o final do poema é a metáfora mais conhecida de qualquer um que já gostou, se apaixonou ou amou alguém, quando o relacionamento termina: você ainda gosta, mas o romance não existe mais ...

Cansada de ser boazinha disse...

"Ah, ilusão!
quem me dera
também fosse exata
a ciência do coração!"

Ótimo. Gostaria que fosse ciência exata, mesmo! Mas, talvez, se fosse assim, não seria tão fascinante e cruel ao mesmo tempo...

Bjos!!!

Letícia disse...

Não li o post... mas leio depois. Tem um selo pra vc lá no afeto.

Bjs.

Branca disse...

Esse espaço de tempo do olhar até a satisfação da entrega, o primeiro abraço, o primeiro beijo...são sensações únicas, marcantes, que deixam muita saudade.
Adoro sentir isso rss,
Bom fim de semana pra vc,
bjos.

gabrielle disse...

Obrigada por partilhar connosco a belíssima história do seu primeiro amor...
A sua menina dos olhos puxados marcou o seu coração de forma muitoooooo proveitosa, pois este poema é uma obra prima! Parabéns!

beijinho

Mai disse...

que significa aquele duplo não?
não, nãofoi em Taiwan...
ou
não não foi bom.
não foi em Taiwan tb.?

rss

Beijo-te
(sequela lusitana)

Monday disse...

Minha jovem senhora

o seu velhinho acha que esse é o poema de amor mais bonito que ele já escreveu ... em toda sua logenvidade ... rsss

Cansada

eu, pra falar a verdade, não gostaria jamais que ela fosse exata ...

Le

eu fui lá ... rsss

Monday disse...

Branquinha

talvez eu lembrasse de tudo isso até hoje sem o poema ... mas acho que com ele ficou mais gostoso ...

Gab

esse poema foi um auto-presente de aniversário, pois foi escrito exatamente em 30/01 ... para deixar uma história que pra mim é muito valiosa preservada pra sempre ...

Mai

é que eu tinha escrito "não, Mai, não foi ..." e depois tirei o Mai dali ... só isso ... rsss

Tyellë disse...

Taiwan já leu isso ?
achei magnifico
mesmo que não exista o romance depois de ter acabado, existem as lembranças...e o fogo acende com as palavras, principalmente com linhas simples e bem detalhadas como estas...

Monday
Onde encontro um exemplar do seu livro Flagra - Crônicas ?
Fiquei interessada em lê-lo.

BJUS
tenha um ótimo fim de semana.

Cris Animal disse...

Lindo post, lindo texto, linda poesia. LINDO sentimento. E pra vc que o viveu, deve ter toda uma magia que por mais que vc tentasse, as palavaras não conseguiriam gravar.
Para mim, leitora, o que mais me chamou à atenção: mais do que o tocar, mais do que o ter, mais do que o prazer cdarnal foi a intensidade, a importancia e a perpetuação de um olhar. O olhar têm uma força absurda em nossa alma. No nosso coração.
Acho que ele guardou suas lembranças....rs
Beijo em vc
............Cris Animal

Monday disse...

Ty

Ela leu sim ... seu nome é Lin ...

quanto ao livro, via internet mesmo, sites como submarino e livraria cultura, se eu não me engano ...

talvez na livraria cultura da Paulista com Augusta, aqui em Sampa ainda tenha, mas na internet é garantido ...

como eu não sou famoso (rsss), as livrarias só mantém esses livros por um período, depois recolhem ... ainda bem que criaram as virtuais, né?

mesmo assim, grato pela preferência ... ah, essas meninas bonitas ...

Monday disse...

Cris

a magia existe, impossível esquecer ... e quanto aos olhares, realmente falam muito ... e geralmente poupam os ouvidos ... rsss

só um detalhe divertido, comum para alguns que vem aqui pelas primeiras vezes: Monday é o menino, Taiwan, onde nasceu a menina ... rsss

Sonia Schmorantz disse...

Obrigado pelas visitas e comentários, mas é verdade que o poema fica no tempo além de nós, aliás não só os poemas, mas toda palavra escrita, gravada... e talvez seja por isso que se diz que todo homem deveria plantar uma arvore, escrever um livro e fazer um filho. São nossa garantia de perpetuar, de ir além do que nosso corpo fisico permite.
Um abraço e bom domingo

Fernanda disse...

que lindo=)
adorei,de verdade
um dos melhores textos que li por aqui=)
uma linda brincadeira de palvras que se encaixram perfeitamente no texto.

Monday disse...

Sonia

ao menos algumas coisas boas a gente pode deixar, não?

Fe

brincar com palavras vai bem de vez em quando ...

suavesencantos disse...

Na ponta dos dedos,o corpo se entrega,a buscar satisfação.

Sensações do tocar e ser tocado,sensações essas q ficam marcadas,memórias da pele,sentimentos inesquecíveis.

Monday sobre o curso q vc perguntou,é um curso do local onde trabalho,é uma espécie de qualificação p trab em outra área diferente da minha atual.
e aquele sexo delicioso q eu presenciei...rs....acho q foi brinde do curso....rs(tô brincando...ah mas bem q foi inetressante foi...rs.)

bjos.

suavesencantos disse...

nossa me empolguei tanto q enrolei as palavras...rsrs....quis dizer,foi interessante.

Monday disse...

Su

vc vai acabar fazendo um livro, com esses brindes todos ... rsss

Marcos Satoru Kawanami disse...

Taiwan, eu nunca tive referência; mas um amigo meu, marinheiro da Petrobrás, disse que as melhores amantes do mundo são as da Tailândia.
Pelas fotos que vi, bonitas elas são...

Monday disse...

Marcos

Você já ouvir falar em massagem tailandesa? Se não ouviu, pesquise e entenderá o que seu amigo te contou ... rsss

Cris Animal disse...

Uhun.....entendi! Monday é "ele". estava claro.....rs
Taiwan é um lugar e às vezes se deixa ser "alguém"....??????
De qualquer forma, é lindo porque fala de uma recordação lembrada e cada vez que lembrada, vivida ainda que em lembranças.Vivida com ternura. Isso é tudo que se pode desejar de um "passado" !
.........Cris Animal

Pearl disse...

Amores intemporais ... só o Amor te deu o tempo e a ilusão protegida pela capa do querer e poder!!

beijinho

Moni disse...

nossa que lindas palavras... como sempre né??? adoros historias de amorqnd se pode perceber todos sentimentos então ficam mais lindas ainda! beijos e boa semana!

Charlotte disse...

sempre se supera.

Belíssimo.

E cair nos braços de um ser amado, é como atingirmos o apice de nossa conquista...

Michelle Dangeli disse...

Perdi o folêgo...

Escrevendo na Pele disse...

Deliciosa poesia, beijos.

Monday disse...

Cris

Sim, Monday é o menino, Lin é a menina, Taiwan foi onde ela nasceu e poema é nossa história de amor ... rssss ... há muitos e muitos anos ...

Pearl

O tempo é mágico para certas coisas, não, moça?

Moni

e aí, moça, já colocou a casa em ordem depois da folga? histórias reais têm mais sabor mesmo, não?

Monday disse...

Charlote

é bom mesmo ...

Michele

sem fôlego? ah, recomendo uma respiração beijo a beijo ... rssss

Ma

e os seus são deliciosos ...

EU SOU NEGUINHA disse...

Lindo post,sensível poesia...
Beijos Insanos

Tamires ________ disse...

Eu cheguei aqui e fiquei meio sem ter o que dizer, de tão profundo que me tocou o poema. De como esta eterna romântica aqui, se espelhou ali.
"Qual palavra?
Qual dizer?
Qual o verso a se fazer?"
Aquilo que o coração o mande, e vc o fez....intensamente.

Adorei.De verdade.

E tb pra me desculpar por não ter voltado antes, estive viajando. Mas agora que voltei, li tua resposta ao meu comentário anterior... E lá tb deixei minhas respostas, rs.

Um beijo enorme!

Monday disse...

Neguinha

Obrigado pela visita, moça ... to indo lá pra rever seu espaço ... até já estive uma vez, mas não lembro se deixei algum coment ...

mas agora deixarei ...

Ta

Férias é muito bom ... talvez vá pra Natal em abril, quer voltar lá? rssss
Bem vinda de volta, moça ...